29 de setembro de 2020

Um novo começo: era da sustentabilidade * A sustentabilidade deve ser entendida como um ideal de vida que compatibilize economia e natureza numa mesma equação. A sustentabilidade envolve um princípio que agregue as melhores intenções e as melhores ações e experiências construídas ao longo do tempo. A elas se somam os potenciais que no cotidiano emergem como descoberta do amanhã. Das ciências e as tecnologias, das experiências ao novo que brota, a sustentabilidade é o sonho que nasce com características mais próximas do melhor que condição humana possa expressar em verso e prosa, em teoria e prática, em cotidiano e futuro, no hoje e no amanhã. Esta sustentabilidade se revela como novo, no âmbito de aspectos que possam traduzir um salto qualitativo do fazer anterior. Este fazer anterior, marcado e repleto de individualismo, de isolamento, de fragmentação, de alienação, de competição. Por um fazer repleto de coletivo, de unidade, de cooperação, de solidariedade, de busca conjunta. Busca esta que priorize a participação e o envolvimento de todos numa compreensão do tempo, espaço e necessidades para enfrentar os desafios e entraves do presente tendo em vista um futuro necessário e possível. A sustentabilidade deve ser entendida como um ideal de vida que compatibilize economia e ecologia numa mesma equação. Com políticas públicas sérias, transparentes e bem formuladas, que tenha continuidade e, sobretudo, aceitação, respaldo e legitimidade junto às populações. Buscar a sustentabilidade implica em vivenciar este momento de inquietação aberto às novas formulações e busca de resolver alguns dos grandes desafios globais e, sobretudo, local. Essas mudanças num contexto de sustentabilidade visam o propósito de melhoria das condições da qualidade de vida, do bem viver. Somente com um envolvimento participativo resultará na promoção de um modelo ambientalmente equilibrado e social e economicamente equitativo. Que atenda os limites ambientais e contemple as inúmeras faces, como sua dimensão econômica, social, política e cultural. Priorizar a sustentabilidade é antever que podemos e queremos mudar, pois entendemos que queremos realizar as mudanças para transformar a trilha, nos próximos tempos, segura, equilibrada, com uma razão sensível e cuidadosa para garantir a continuidade de nossa espécie nas próximas décadas. Não falamos de um caminho fácil, pois há muitos que pensam contrários a isso, mas será um caminho de recusas, de escassez, de reaproveitamento, de buscas alternativas de alimentos, energia, água, ar e terra. Disto nos referimos a um modelo eco cidadão que, no percurso, provoque mudanças de valores, atitudes e comportamentos para gerar novas formas de sociabilidade e cidadania. Ser sustentável implica em seguir um mapa que incorpore a ciência e a tecnologia responsável e com qualidade para apontar a felicidade, e nisso há um diálogo franco, aberto com o futuro. Do fosso que nos encontramos, não há muitas possibilidades, esta é uma das que se apresentam. Que procure integrar toda a teia da vida, de forma, equilibrada, decente e prudente. Que reconheça que somos humos, terra fértil, que corresponde ao sentido mais profundo de nossa condição humana. Uma terra fértil que faz brotar árvores, flores e o canto dos pássaros que colorem a vida com toda sua exuberância. E,finalmente, que não permita jamais esquecer que terra e humanidade possuem a mesma origem e o mesmo destino. Em síntese, que só temos o direito de fazer coisas belas, e, para tanto, incorporar as melhores experiências e tendências, dispersas e isoladas, na nova forma de construir o processo civilizatório, que comece e se instale pelas cidades e pelos campos, pelo rural e pelo urbano. *PAULO BASSANI é sociólogo e Coordenador do GEAMA Folha de Londrina - Espaço Aberto - pág. 02 -17/02/2017
Programa "Tarobá Cidade" em Londrina - 11/08/2020. Entrevista sobre a abertura dos Clubes Sociais e os Condomínios de Lazer. Paulo Bassani Comodoro do Iate Clube de Londrina. Com Marcio da AFML. Segue o link: http://v.tarobanews.com/.../taroba-cidade-11-08-2020.../v/


 Consciência e atitude ambiental*

A modernidade criou uma falha de compreensão da vida. Não compreendemos que a vida depende da saúde da Biosfera planetária. Da manutenção das condições naturais de seus ciclos, seus potencias, sua rede de relações e suas limitações. E que toda a biodiversidade existente necessita viver para determinar a vida humana. Essa é a grande questão que devemos responder e solucionar para garantir a continuidade da vida neste planeta.
Precisamos pensar o ser e estar neste mundo, o ser e estar com outros fundamentos, estamos destruindo a casa comum que moramos, já há alguns anos vem nos dando sinais desse abuso e impactos, além de ter demonstrado sinais de esgotamento. Nossa espécie humana precisa entender que somos mais uma espécie de seres vivos neste planeta, não a única. Essa compreensão nos permitiria entender que a visão dominante e impactante criados pela razão e a lógica científica e tecnológica cartesiana da modernidade em curso, não será mais possível. Precisamos de outras formas que coloque o cuidado, o zelo, o respeito e a sustentabilidade em prática no cotidiano.
Precisamos cuidar da Biosfera planetária, da camada de ozônio, das águas, das geleiras e glaciares, das árvores e das florestas, da terra fértil, pois sem essa rede natural, conjunto intacto de relações complexas que formam e geram a vida, não poderemos ter um amanhã de qualidade nem a nós e nem as futuras gerações.
Necessitamos de uma consciência socioambiental, estabelecer novos diálogos que nos ensine a conviver com tudo e, com todos os fatores que possibilitam e compõem a Teia da vida. Não estamos com muito tempo, porém temos diante de nós uma oportunidade única, pois temos o conhecimento prático e científico para fazer as coisas certas. Cabe decidirmos de maneira consciente e ética que o caminho da sustentabilidade é possível, é urgente e necessário.

*Prof. Dr. Paulo Bassani
Sociólogo Ambiental


 Mestrado em Saúde Coletiva – UEL – HU

Curso – Saúde e Sociedade
Módulo: “A questão ambiental e a saúde humana e planetária” 4hs
Data: 21/09/2020
Prof. Dr. Paulo Bassani
1. A questão ambiental e sua importância hoje;
2. Alfabetizar para habitar a Terra;
3. Questões Ambientais – saúde humana e planetária;
4. A Era do antropoceno;
5. Mudanças climáticas e aquecimento global.

A primavera em suas cores e belezas